quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Retrospecto



Ao futuro.

Começar sempre é o mais difícil. Você faz suas listas, estende suas preces, fecha os olhos e torce pelo melhor. Sem esperar. Há sempre a pressa em manter-se ágil. Gostamos da ação, do movimento, das cores fortes, da celebração intensa. Nessa intensidade de viver em movimento, não sentimos que o tempo brinca conosco. Tudo é uma grande diversão. Não há tempo para admirar o tempo.

Ledo engano.

Pensamos que levamos a vida. Na maioria das vezes, ela nos carrega por aí. Como o vento leva a poeira pra longe. E o tempo, oportuno, nos lembra que há tempo para estar em movimento, mas também há tempo para esperar. E a espera nos aflige, pois é lenta, preguiçosa e nos resta pouquíssimas escolhas diante dela... Diante de nossas súplicas, se mostra inexorável... O que nos resta? Resignação?!

Há tempos que não.

2 comentários:

  1. Massa. Como canta Jack Johnson:
    We're shocking but we're nothing
    We're just moments.

    ResponderExcluir